sexta-feira, 4 de julho de 2014

Entenda (e salve) suas Orquídeas - save your orchids.

As orquídeas nunca deixam de me surpreender. Por isso acho tão interessante cultiva-las. Estas duas, nas fotos, estavam em péssimo estado. Imaginei que estivessem prestes a morrer. Eu havia feito uma tentativa frustrada de aclimata-las em outro lugar, já que estou ficando sem espaço nos locais em que elas gostam de ficar, e quase acabei com elas. A primeira, uma phalaenopsis, estava com as raízes bem ressequídas e as folhas severamente queimadas, pelo sol. A outra é uma dendrobium, sem folhas, cuja haste e raízes estavam totalmente ressecadas. Eu estava me preparando para retira-las do vaso, imaginando que estivessem mortas. Então, em questão de uma semana, as duas me revelaram seus pequenos segredos. Estavam maltratadas, porém, bem vivas e preparando uma farta florada. A dendrobium abriu suas flores em maio. 




Um cacho delicado e gracioso de flores brancas com o centro púrpura. As raízes começaram a se desenvolver.Após a floração, ficará uma nova planta em desenvolvimento.

A haste da phalaenopsis continuou crescendo e formando os botões.
 
E com as folhas ainda danificadas, floresceu.
Aos poucos, vamos conhecendo o lugar ideal para aclimata-las em nossa casa. Elas são cultivadas em estufas com ambiente controlado, portanto é muito natural que sofram ao se adaptar em sua nova casa.
Já percebi que elas gostam de pouco vento, muita luz, porém com pouco sol direto (só o da manhã, ou do finalzinho da tarde). Caso contrário, teremos folhas e raízes queimadas como as da foto no início do post. Pouca luminosidade, proporciona folhagem bem verde e viçosa, mas não favorece a floração (isso serve para as violetas também). As folhas, adoram um belo borrifo de água. Ficam fresquinhas e viçosas. Evite água com muito cloro e pelo menos uma vez ao mês, adicione adubo foliar na água. Estou aprendendo aos poucos, que essas flores maravilhosas são bem mais resistentes do que eu imaginava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário